Search

Câmara discute em audiência ordenamento e regularização dos flutuantes do Tarumã-Açu


De autoria do vereador Caio André (PSC), a Audiência Pública que discutiu a regularização dos flutuantes na Orla do Tarumã, na última sexta-feira (19/11), no auditório Zany dos Reis, na Câmara Municipal de Manaus (CMM), contou com a participação do Instituto de Proteção Ambiental do Amazonas (IPAAM), Secretaria Municipal de Limpeza Pública (Semulsp), Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semmas), Associação dos Flutuantes do Rio Tarumã-Açu (Afluta) e o Comitê de Bacias Hidrográficas do Tarumã-Açu, além da Águas de Manaus, Amazonas Energia e a sociedade civil organizada que demandou alguns pedidos e requerimentos que podem ajudar na preservação do Rio Tarumã.


De acordo com o vereador Caio André, a audiência foi muita positiva e alcançou o seu objetivo, mas destaca também a posição da sociedade civil organizada, como donos de flutuantes de lazer e residenciais, que o Tarumã pede ajuda e necessita da colaboração de todos.


“Nesta audiência foi possível ouvir as pessoas que conhecem a real situação do rio Tarumã no que diz respeito a expansão de flutuantes e a questão da poluição. Todos eles são inânimes e sabem que o rio pede socorro e a ajuda de todos é crucial para isso. Tudo o que foi suscitado aqui será encaminhado aos órgãos competentes. Nós discutimos e deliberamos, e agora vamos preparar as indicações e requerimentos para que o Tarumã continue conservado”, comentou o vereador Caio André.


O vereador destacou ainda que a Comissão de Meio Ambiente da CMM vai se reunir e traçar um projeto de lei para regulamentar a utilização da orla do Tarumã. “Nós recebemos, através do projeto Remada Social, um estudo feito pela Universidade Federal do Amazonas (Ufam) e outros órgão de pesquisa, que demonstra quantos flutuantes podem ter na região. Levaremos esse estudo passa o seio da comissão de Meio Ambiente e ele será base para criarmos um Projeto de Lei que regulamentará o uso de todo aquele espaço, isso em parceria com a Marinha que é a responsável pelos rios”, completou.


As discussões avançaram em muitos pontos que serão importantes para o trabalho de conservação e preservação do Rio, como por exemplo o recolhimento do lixo que, antes era uma vez por semana, passará a acontecer duas vezes a cada 15 dias, isso foi um comprometimento da Secretaria Municipal de Limpeza Pública (Semulsp). Já a concessionária Águas de Manaus fará a criação de um poço artesiano para distribuir água potável para moradores da comunidade da Marina do Davi.


Atualmente a orla da Tarumã conta com mais de 480 flutuantes cadastrados, porém, mais de mil são perceptíveis no local, com isso, gera-se vários problemas como o desperdício e furto de energia, e para solucionar essa situação a Amazonas Energia sugeriu, em parceria com o IPAAM, a criação de um programa de energia solar para os flutuantes, o que o diretor de Recursos Hídricos do IPAAM, Sergio Martins, disse estar disponível para ajudar.


“Tenho mais de 20 anos de experiência nessa área e essa audiência pública foi muito boa. Além de ouvir as partes, já haverá algumas ações diretas para os moradores daquela localidade, isso ajudará bastante nos trabalhos de preservação. O IPAAM está disponível para ajudar nessa ideia da energia solar e qualquer outra que beneficie a população e a preservação dos recursos hídricos”, pontuou.


Para a presidente da comunidade Marina do Davi, Sara Guedes, a audiência teve foco e os órgãos que podem auxiliar nos problemas da comunidade estavam presentes. “Já participamos de várias reuniões e conversas sobre a questão dos flutuantes e a preservação do nosso rio, mas essa audiência foi bastante diferente. Aqui estavam os órgãos que podem nos ajudar a regularizar questões de água, energia e a própria Marinha, com uma postura bastante flexível às nossas demandas. Isso acende uma esperança para resolvermos esses problemas e nós aguardamos com muita fé respostas positivas”, finalizou.


Texto: Assessoria de Comunicação do vereador

Foto: Robervaldo Rocha – Dircom/CMM

0 views0 comments