Search

Caio André denuncia Santander por obrigar funcionários a trabalhar após expediente sem horas extras.


No grande expediente desta terça-feira (26/4), na Câmara Municipal de Manaus (CMM), o vereador Caio André (PSC) levou a Casa a denúncia de trabalhadores do Banco Santander que estão sendo obrigados a trabalhar após o fim do expediente, com condições inadequadas e sem receber os benefícios que lhe são assegurados por lei. Ao explicar a situação, o vereador ressaltou que a CMM não se calará e que isso tem que acabar.


“Os funcionários do Banco Santander estão sendo compelidos a bater o ponto no final do expediente, que ocorre às 16 horas, e a partir de então, são obrigados a ir para algumas faculdades para trabalhar com abertura de contas universitárias, o que é comum nesse período. No entanto, o que não pode, é esses profissionais serem obrigados a fazer uma rotina diária de trabalho fora da sua jornada normal”, explicou o vereador.


Segundo o vereador, o sindicato da categoria já foi acionado e confirma que foi a partir dele que a denúncia chegou ao seu gabinete. O vereador conta ainda que os trabalhadores estão tendo seus direitos retirados. “Os funcionários do Banco Santander estão trabalhando a noite, sem adicional noturno, sem pagamento de horas extras, e pior, com o ponto batido, como se estivessem cumprindo uma jornada normal de trabalho. Os bancos fazem isso visando o lucro, mas isso tem que acabar na cidade de Manaus”, pontuou.


O vereador finaliza afirmando que o Ministério Público do Trabalho (MPT) precisa ter conhecimento sobre o caso e destaca a disposição da CMM em lutar pelas causas dos trabalhadores.


“Inaceitável o que acontece com esse funcionários, que se não comparecerem aos postos de trabalhos montados nas faculdade, perdem o emprego. Nós, enquanto caixa de ressonância da sociedade manauara, defensores da nossa população, não podemos nos calar frente a esta ilegalidade flagrante contra o código trabalhista nacional e contra a saúde desses trabalhadores. Queremos que o MPT tenha conhecimento dessa situação e afirmo que a CMM não compactua com isso e não nos calaremos”, finaliza.


Texto: Assessoria de Comunicação do vereador

Foto: Emerson Olliver – Assessoria de Comunicação do vereador

0 views0 comments