Search

Caio André exige resposta da Amazonas Energia sobre cortes sem aviso prévio.





A Câmara Municipal de Manaus (CMM), recebeu na manhã desta quinta-feira (17/02) a Audiência Pública sobre as irregularidades encontradas nos medidores de energia elétrica, como constatou o Instituto de Pesos e Medidas do Amazonas (Ipem). Durante a reunião, onde vários questionamentos foram levantados, o vereador Caio André (PSC), exigiu que a concessionária Amazonas Energia explicasse que medidas a empresa tomará para finalizar com os cortes de energia sem o aviso prévio de 15 dias, ação que tem prejudicado a população.


Antes de perguntar, Caio André destacou que esta atitude da empresa é ilegal. “Antes dos meus questionamentos, quero fazer duas assertivas. A primeira é que, enquanto outras empresas estavam com restrições, por conta da pandemia, a Amazonas Energia foi a que mais realizou o corte de energia, mesmo com a proibição dada pela justiça, inclusive pelo Governo Federal. A segunda é dizer que todos esses cortes, todas essas trocas de medidores, aconteceram sem a presença e anuência do morador ou do residente, o que é obrigação da empresa fazê-lo, inclusive através de uma norma da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) e através de lei”, explicou o vereador.


Após esse embasamento, o vereador continuou, fez seus questionamentos e exigiu uma resposta da Amazonas Energia. “Portanto, gostaria de saber, quais são as medidas urgentes que a empresa tomará, aqui na cidade, para sanar e cessar, esses problemas de cortes de energia elétrica sem anuência e prévia comunicação, expressa em lei de no mínimo 15 dias, para a nossa população que já está cansada de chegar em casa e não ter energia?”, questionou o vereador.


Medidores Aéreos.


Aprofundando as questões, o vereador perguntou ainda quando a concessionária tomará a atitude de retirar os novos medidores, que fazem uma poluição clara na cidade e que tem total insatisfação da população. O questionamento veio seguido de um desafio aos vereadores.


“Estou fazendo esse questionamento porque, caso a empresa insista em manter esses medidores aéreos, da forma que está sendo feita, eu estou aqui desafiando os nossos colegas vereadores, e tenho certeza que teremos apoio maciço, para colocarmos no plano diretor da cidade a proibição desse tipo de medidor em Manaus”, finalizou.

Texto: Assessoria do vereador

Foto: Robervaldo Rocha - CMM

0 views0 comments